Como Escolher um Notebook: Veja as 10 dicas mais Importantes

Está na dúvida sobre como escolher um notebook? Calma, que você chegou no lugar certo.

Os notebooks oferecem portabilidade e energia incríveis, mas são menos flexíveis que os desktops. Depois de fazer sua escolha, você não terá muito espaço para mudanças.

Uma tática de compra usada pela maioria é definir um orçamento e pegar o modelo que um grande fabricante como a Dell, Lenovo ou Acer oferece nessa faixa. Mas e se a máquina não fizer o que você precisa? E se o teclado não for confortável ou o notebook não tiver um número de portas USB suficiente?

Você não poderá simplesmente trocar teclado e enquanto atualizar a RAM ou mudar para um disco rígido maior ou mais rápido é até possível, fazer essas coisas não é tão fácil quanto em um desktop.

Por isso, você precisa pensar cuidadosamente sobre o que quer para o seu notebook antes de entregar seu dinheiro.

Neste guia, vamos passar por algumas das principais questões, levando você pelos diferentes tipos de notebooks disponíveis para ter uma visão geral de como escolher um notebook! Vamos lá?

1. Como Escolher o Tamanho do Notebook

Antes de começar a falar como escolher um notebook, é preciso dizer que não existe o melhor notebook de todos. Isso realmente depende de seus próprios requisitos e orçamentos, e o tamanho desempenhará um papel importante em como escolher um notebook.

como escolher tamanho ideal de notebook

Os notebooks tendem a ser divididos em categorias com base no tamanho diagonal de suas telas, em polegadas. Isso ocorre porque o tamanho da tela de um notebook também determina o tamanho geral da sua carcaça.

Um notebook com uma tela enorme de 17 polegadas será fantástico para trabalho e jogos pesados, e provavelmente terá um teclado de tamanho decente para facilitar a digitação, mas será muito maior e mais pesado do que um modelo de 13 polegadas.

Na hora de pensar em como escolher um notebook, você deve considerar cuidadosamente se o carregará ou o usará apenas em casa. Não faz sentido comprar um modelo ultra leve de 13 polegadas se você for usá-lo em uma mesa em casa na maior parte do tempo.

Da mesma forma, uma modelo de 15 ou 17 polegadas é um bom substituto para um PC de mesa, mas dificilmente caberá em uma mochila, e se o fizer, você pode não ficar feliz em carregar algo que pesa cerca de 3kg.

Um modelo de 15 polegadas oferece um compromisso decente entre facilidade de uso e portabilidade: enquanto pesa cerca de 2kg ou menos, você provavelmente não se importará de levá-lo no ônibus. Se você quer algo super leve, opte por um notebook com uma tela de 11-13 polegadas.

2. A importância da resolução de tela

O tamanho da tela não é tudo em como escolher um notebook, a resolução também deve ser levada em conta. A resolução mínima que você geralmente encontrará é de 1,366 x 768 pixels. Isso é bom para a maioria das tarefas.

resoluções de tela

É possível até mesmo trabalhar em dois aplicativos lado a lado com muitos pixels, especialmente porque muitas páginas da Web modernas se reformatam para se adequarem ao espaço disponível na tela.

Em notebooks com telas menores, uma resolução maior nem sempre significa mais espaço. Quando uma tela tem um número maior de pixels em uma pequena área, o sistema operacional precisa dimensionar tudo, ou então o texto e os ícones ficam muito pequenos para serem visualizados corretamente.

Não há muito mais espaço para aplicativos em um notebook de 15 polegadas com tela de 1.920 x 1.080 do que em um modelo de 15 polegadas com uma tela de 1.366 x 768. No entanto, a resolução mais alta significa que o texto e os ícones serão muito mais suaves e, portanto, mais fáceis de ver.

Ao pensar em como escolher um notebook, vale a pena entrar em uma loja e experimentar algumas telas para ter uma ideia exata do que você está procurando. Sua visão e suas preferências de trabalho decidirão o tipo de tela que melhore servirá para seu uso.

3. Influência do design do notebook

A maioria dos notebooks ainda oferece um design tradicional tipo clamshell, com uma tela que se dobra por cima do teclado e do touchpad.

Há alguns que apostam em outras tendências, no entanto. Alguns notes mantêm a forma tradicional, mas adicionam uma tela sensível ao toque, o que pode ser divertido para tarefas criativas, como desenhar ou fazer música.

Outros têm uma tela sensível ao toque que pode se dobrar atrás do teclado, transformando o notebook em um tablet — normalmente são chamados de 2-em-1s.

Modelos como o Surface da Microsoft e os vários Transformers da Asus têm telas que se desprendem totalmente do restante do dispositivo, para que um tablet adequado fique livre do peso e do volume dos teclados.

Esses tablets especializados funcionam bem se você quiser usar os aplicativos específicos que tiram proveito de uma tela sensível ao toque, como programas de design ou música, mas são muito mais caros do que os notebooks padrão.

Se você não tem 100% de certeza de que precisa dessa flexibilidade, é melhor se ater a opção mais tradicional na hora de pensar em como escolher um notebook.

4. Teclado e digitação confortável

Devido às restrições impostas pelo tamanho físico do notebook, os teclados tendem a ser mais variados do que os modelos de desktop. Para começar, há espaço para um teclado numérico apenas em notes maiores e em apenas determinados modelos.

Além disso, muitos notebooks têm pequenas teclas de direção ou teclas de barra invertida à direita e não à esquerda do teclado. Apenas alguns notes possuem as chaves Home, End e Page Up e Page Down.

Se não houver uma chave física para essas funções, será necessário usar uma combinação de teclas Function (Fn). Se você confiar nessas chaves para navegar em um documento de texto, procure um notebook em que todas essas funções sejam replicadas por chaves físicas separadas.

Os teclados dos notebooks também podem variar muito em qualidade. Alguns são desagradáveis ​​para digitar — na hora de pensar em como escolher um notebook, isso dependerá bastante do seu gosto também.

Se você não conseguir experimentar o teclado sozinho em uma loja, recomendamos que pelo menos leia alguns comentários para ver se há algum problema grave. Afinal, você terá que viver com o teclado por um bom tempo depois que fizer sua escolha.

5. Conforto do touchpad

O mesmo acontece com o touchpad de um notebook. Essa é uma das maneiras principais de interagir com seu aparelho, por isso tem um papel importante em como escolher um notebook e precisa funcionar bem — mesmo que você pretenda fazer uso de um mouse externo.

Infelizmente, muitos touchpads de notebooks são terríveis. Há uma tendência de fazer com que os botões façam parte do touchpad principal, o que, quando mal implementado, pode significar que o cursor pula por todo o lugar quando você faz um clique.

Muitos touchpads não respondem com precisão ao movimento dos dedos ou possuem botões flexíveis que dificultam determinar se você registrou um clique.

A maioria dos touchpads modernos suporta gestos, onde você pode usar dois dedos para rolar ou o gestorpinça para ampliar — mas, novamente, a facilidade com que esses gestos são usados ​​varia muito entre os diferentes notebooks.

Hoje em dia, muitos vêm com Touchpads Precision aprovados pela Microsoft, pondo fim a anos de medíocres touchpads com Windows que foram massivamente superados pelos encontrados nos MacBooks da Apple.

Mas, como falamos, se você pega um notebook com um touchpad ruim, sempre tem a opção de carregar um mouse USB na sua bolsa, o que nos leva para a…

6. Conectividade e portas de entrada

Outro ponto em como escolher um notebook são as portas de entrada. Um notebook tem espaço limitado em torno de sua base, portanto, tem muito menos portas do que um PC de mesa.

Por esse motivo, pense cuidadosamente sobre o que você precisa conectar. Para começar, alguns notebooks têm apenas duas portas USB.

portas do notebook

Se você tiver uma impressora e um mouse conectados e quiser tirar algumas fotos da sua câmera, precisará desconectar alguma coisa, a menos que seu notebook tenha um leitor de cartão SD integrado, como muitos possuem.

Muitos notes atuais têm pelo menos uma porta USB 3 para transferências de dados mais rápidas também. Notebooks maiores tendem a ter pelo menos três portas USB, o que será bom para a maioria das pessoas.

Também tenha em mente que muitos notebooks modernos não têm unidades de DVD internas, portanto, se você quiser ler e gravar discos, precisará gastar um pouco mais em um adaptador — lembrando de checar se terá portas USB o suficiente para isso.

Portas USB 3.1 estão começando a aparecer nos últimos notebooks de última geração. Essas portas são geralmente da menor variedade Tipo-C, mas abrem um mundo de possibilidades quando se trata de velocidades de transferência e periféricos.

Uma única porta USB 3.1 pode hospedar uma carga de periféricos de alta potência e alto desempenho, como monitores e discos rígidos externos, por meio de uma estação externa, que pode ser cara, mas extremamente prática.

Considere também a rede: embora todos os notebooks tenham rede sem fio integrada (se você tiver um roteador 802.11ac sofisticado, verifique se o chip sem fio do seu note suporta CA, para obter as melhores velocidades de transferência), nem todos têm um plugue Ethernet.

Achamos que isso é um problema principalmente quando viajamos, já que alguns hotéis oferecem conexões sem fio ruins, mas rede Ethernet rápida em cada quarto. Os adaptadores USB para Ethernet estão disponíveis por um preço relativamente baixo, mas lembre-se de que isso usará uma das suas preciosas portas USB.

As saídas de vídeo também são importantes: HDMI é a saída de vídeo mais comum em notebooks, que servirá para conectar a maioria das TVs e monitores (se forem modelos 4K, você precisará de um conector HDMI 2.0, que poucos modelos oferecem).

Apenas alguns modelos de negócios agora têm saídas VGA, que você pode precisar se conectar a um projetor de escritório na sala de reuniões. Os conectores HDMI para VGA também são baratos, então isso talvez não seja um problema.

7. Desempenho e RAM

Agora que você já tem uma ideia de como escolher um notebook pela sua parte externa, é hora de se preocupar com a parte de dentro.

O primeiro ponto é a memória RAM. A menos que você esteja comprando um notebook muito barato, opte por pelo menos 4 GB, para que você não precise se preocupar com quantas guias do navegador abrem de uma só vez.

memória ram para notebook

Se você vai editar vídeos, você precisa de pelo menos 8 GB, embora essa quantidade de RAM agora seja comum mesmo em notebooks de baixo custo.

A escolha do processador é mais complicada. Você deve procurar pelo menos um processador Intel Core i3, que lidará confortavelmente com navegação na web e trabalho de escritório, e considerar um chip Core i5 para tarefas mais intensivas, como lidar com imagens grandes e editar e codificar vídeos.

Notebooks com chips Core i7 são caros, mas super rápidos, então vale a pena considerar se você quer o melhor desempenho possível.

Esteja ciente de que nem todos os chips Core são criados iguais — versões especiais de baixa tensão podem confundir um pouco sua escolha. 

Também existem notebooks equipados com AMD no mercado, mas estes ainda são muito menos comuns. Procure um processador AMD A8 ou A10 para garantir que você não está adquirindo um notebook com baixo consumo de energia.

8. Gráficos e chipset

A maioria dos notebooks conta com o chipset gráfico integrado do processador, geralmente chamado de algo como “Intel HD Graphics”.

Isso garante a reprodução de jogos 3D simples em baixa resolução com configurações de detalhes baixos a médios, mas se você realmente for do tipo gamer, precisará de um notebooks com um chipset gráfico Nvidia ou AMD dedicado.

É difícil determinar a rapidez com que um chipset gráfico será gerado a partir do número do modelo, por isso recomendamos a busca por referências de gráficos online para ver como um chipset funciona com os jogos mais recentes.

Apenas notes muito caros podem rodar os jogos mais recentes em níveis muito altos de detalhes, então se você tiver espaço, pode valer a pena comprar um notebook normal para as tarefas mais simples e um PC desktop para jogos (ou um console de jogos).

9. Vida útil da bateria

Além do tamanho e do peso, isso deve ser uma prioridade se você planeja viajar com seu notebook. Nem sempre é possível conseguir um assento em um trem ou em um café perto de uma tomada elétrica, afinal.

Notebooks pequenos e leves geralmente oferecem vida útil de bateria superior a modelos maiores, principalmente por serem equipados com processadores de baixa tensão, portanto menos potentes, e uma tela menor.

bateria para notebook

Novamente, leia comentários para ver quanto tempo a bateria de um notebook durará; espere de cinco a sete horas por um note de 15 polegadas de uso geral e oito a 10 horas ou mais de um notebook pequeno e altamente portátil. Algumas opções de alto desempenho são um pouco famintos e podem te dar apenas quatro ou quatro horas e meia de uso desconectado.

10. Armazenamento e disco rígido

Finalmente, chegamos ao armazenamento, ponto essencial em como escolher um notebook. Como é o caso em um desktop, um SSD tornará a inicialização do notebook e o tempo de resposta para abertura de softwares e apps mais rápidos e  responsivos, portanto vale a pena verificar se você pode pagar por essa função.

Ao contrário de um PC de mesa, você não pode simplesmente comprar um pequeno SSD para o seu sistema operacional e ficar em um disco rígido barato para seus arquivos pessoais.

A grande maioria dos notebooks tem espaço para apenas um disco, então você precisa ter certeza de que ele é grande o suficiente.

Algumas opções muito baratas, como o Acer Aspire One Cloudbook 14, têm 32 GB de armazenamento, o que é insuficiente para o Windows 10 e algumas atualizações baixadas. Recomendamos um mínimo de um SSD de 120 GB, e isso apenas se você armazenar a maioria dos seus arquivos na nuvem.

Se o seu notebook servirá apenas ao uso doméstico, com armazenagem de fotos e músicas, você deve optar por um modelo com pelo menos 500 GB de armazenamento.

Alguns têm unidades híbridas “SSHD”, que combinam um disco rígido mecânico lento (HDD) com um pequeno cache SSD.

Essas unidades armazenam dados usados ​​com frequência, portanto, podem acelerar os tempos de inicialização e fazer com que os programas usados ​​com mais frequência sejam carregados mais rapidamente. Eles são um bom compromisso se sua carteira não conseguir se estender a um SSD grande.

Atualmente, os notebooks de última geração têm SSDs que usam o padrão PCI-Express (PCIe). Estes são muitas vezes mais rápidos do que um SSD regular e podem fazer uma enorme diferença em relação ao desempenho.

Um bom notebook é um investimento que você fará por alguns anos, por isso, vale a pena pesquisar bastante e saber como escolher um notebook antes de tomar sua decisão final.

Para tirar o máximo da sua navegação, aproveite e leia também o post que separei para você sobre como escolher um roteador para sua rede Wi-Fi e garantir as melhores velocidades!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *